BASTIDORES #2

Enquanto o filtro enche, a minha cabeça esvazia.


FILTRO DE BARRO

Quando nos mudamos para o apartamento novo, há quase 1 ano, decidimos ter um filtro de barro. A gente gosta da água fresquinha, que parece estar saindo direto de um rio, e adoramos a estética dele.

Mas o filtro de barro pede manutenção praticamente diária, principalmente aqui, já que os dois trabalhamos em casa e bebemos muita água. Isso significa que temos que encher o reservatório mais de 1 vez por dia e limpar a vela 1 vez por semana. Recebemos a sugestão de adaptar um encanamento direto para o filtro para que ele estivesse sempre cheio, e confesso que recusei porque achei que ficaria horroroso e fugiria totalmente da proposta estética mais clean que a gente curte. Mal sabia eu que a manutenção manual do filtro seria uma das coisas mais gratificantes deste último ano.

Já faz uns 2 anos que, cada um por seus motivos, estamos buscando simplificar nosso cotidiano. Nos mudamos para um apto menor, com menos armários, menos cômodos, menos móveis e mais espaço livre. Eu tenho uma cabeça ansiosa, criativa, organizadora. Por causa disso, se não fico atenta, mergulho em tarefas, me perco em planejamentos e ouço uma voz me dizendo eternamente que “preciso de mais tempo”. Simplificar, para mim (e acredito que para todo o resto da humanidade), é questão de saúde mental.

Nós estamos vivendo essa epidemia de ansiedade porque, em nome da praticidade, automatizamos as tarefas manuais e deixamos muito espaço para as tarefas mentais. As pequenas ações do dia a dia, como preparar nossa refeição ou estender a roupa no varal, tem um quê de pausa, de calma, de realinhamento.

E aqui entra o filtro de barro. Em vez de achar que estou “perdendo meu tempo” enchendo o reservatório 2 vezes por dia, aos poucos fui desenvolvendo uma relação de pausa com essa tarefa. Investir 2 minutos para ligar a torneira e ENCHER o filtro virou uma ação concreta para o movimento mental necessário de parar, pausar e ESVAZIAR a minha cabeça. Meus dias estão cada vez mais leves. Minha mente está cada dia menos descontrolada. Estou mais criativa. O filtro enche, a cabeça esvazia.

VK

 

Compartilhe: