BASTIDORES #3

“Meu único defeito é meu perfeccionismo”


“Meu único defeito é meu perfeccionismo”, disse a pessoa que se identificava com ele.

Por muito tempo (leia-se: até poucos meses atrás) eu super me identificava com um traço perfeccionista da minha personalidade. Mesmo sabendo que o perfeccionismo é um jeito de fugir da nossa humanidade (ou seja, do fato de que somos sujeitos a erros), eu me referia a ele como algo que eu precisava superar mas, no fundo, me apegava a ele com unhas e dentes.

Cada um tem um perfeccionismo para chamar de seu, e no meu caso, era o medo de estar errada. Antes de publicar qualquer coisa aqui ou no blog, eu tinha que pensar e repensar e pesquisar o máximo de informações possíveis para ter certeza de que o meu ponto de vista não teria falhas (leia-se: ter certeza de que eu não seria criticada e/ou minha opinião seria desafiada). Como cargas d’água a pessoa consegue escrever e levar adiante um blog como o meu se ela tem um medo desses, né? Pois é, não rola. Por isso que eu não estava conseguindo!

No mês passado, eu passei 3 semanas na Europa dando algumas aulas, mas a viagem foi um mergulho nas minhas travas criativas. Nesse processo, me deparei com meu perfeccionismo. Olhei pra ele e falei “Beleza, qual é a PIOR coisa que pode acontecer se eu te abandonar? Se alguém me criticar? Se alguma ideia minha não for bem recebida?”. Me imaginei escrevendo e me expressando e me senti livre, mas um pouco exposta. Me imaginei no cenário oposto, medindo minhas palavras para evitar “falhas”, e percebi que o que eu sentia era uma pseudo-segurança e uma sensação enorme de insatisfação. Decidi ficar com a liberdade.

Esse papo de perfeccionismo é super cultural e muito LIMITADOR. Alguns sentem que precisam ser perfeitos no trabalho, outros nos relacionamentos, outros na maternidade e assim vai. Todo mundo tem algum tipo de autocrítica exacerbada em forma de perfeccionismo. Só queria te dizer para chamá-lo pelo nome certo, que é MEDO (de assumir que somos cheios de falhas, que vamos errar em algum momento e que TUDO BEM!). Nem sei se esse medo vai embora totalmente algum dia, mas por enquanto estou de olho nele, e sinto que está funcionando!

VK

[Foto em destaque na lista de posts: Fábio Lontra]

 

 

Compartilhe: